/ viagem de aviao com animais

30nov 2012

Canadá: O Vôo Com as Crianças – parte 2

Postado por às em Canadá, Família, Viagens

Chegamos em Toronto doidos pra pegar o Bartô e ver como ele estava, mas assim como quando viajamos sem a Filó pra um final de semana em Sampa, falei pro marido que ele iria na frente ver se o Bartô estava vivo, que eu não ia aguentar e não queria ver…
Saímos do avião e fomos andando rápido em direção as malas, só que antes tinha que passar pela imigração, nisso Filó já estava acordada e miando o tempo todo.
Chegamos perto de onde o povo estava pegando as malas e marido mais na frente, de repente ele corre e entra num lugar que não consigo mais vê-lo.. saí correndo também desesperada (com Filó sempre comigo) e de repente tava lá o Bartô, todo lindo, feliz da vida. Me joguei no chão perto dele e chorei horrores de abrir o berreiro de tanto alívio. Alan abriu a caixa dele e Bartô veio todo lindo com a tartaruga de pelúcia dele na boca.. owm…. choro só de lembrar, gente!! Como assim, ele todo lindo, ainda lembra de pegar a tartaruga e mostrar pra gente?!?!?!?! Coisa linda da mãe!!!!! :’)
Daí, marido foi pegar as malas, enquanto isso comecei a dar comida pra ele (comeu tudo!!) e água (bebeu meia garrafinha que pegamos no vôo). Isso tudo dentro da caixa de transporte, porque né? Já estávamos em terras canadenses… 
Com as crianças devidamente lindas, alimentadas e hidratadas, lá fomos nós tentar pegar o outro vôo (por causa do cancelamento do vôo anterior, nossa escala tinha somente 1:30!), daí de repente um árabe com tubante e tudo da polícia canadense nos para e pergunta todo grosso:
_ Por que você não declarou o cachorro?
_ Ahm?! (marido disse) Err… hmmm….
_ Vai lá praquela área.
E lá fomos nós pra polícia… Uma poilicial canadense nos atendeu e disse:
_ Vocês tinham que ter declarado o cachorro e o gato aqui nesse papel. A multa pra cada um é de $800.
(Eu normal, sem entender nada ainda, feliz da vida com meu Bartozinho vivo)
Alan disse:
_ Nossa! Mas…
_ Tudo bem. Vou dar somente uma advertência, mas da próxima vez leia com mais atenção. Vai lá no caixa e paga somente o imposto de importação de animais que é de $40 e vou liberar vocês rapidinho porque vocês tem o outro vôo que é daqui a pouquinho.
Depois que saímos, marido:
_Você não entendeu nada, né? Tadinha,,,,
AHHAHAHAHAHA dá 0 pra mim!

Agora era outro grupo de profissionais da Air Canada e outras pessoas no vôo.. já não tinha mais quase brasileiro e não éramos mais conhecidos por todo o avião…
Colocamos o Bartô num carrinho perto da esteira pra onde as malas iriam e ficamos esperando alguém pegar ele. Daí veio uma moça verificar a etiqueta e eu disse:
_ Ele vai pra Vancouver comigo, tá?!
_ Sim!
Depois veio um negão todo sorridente pegando ele e eu falei:
_ Oh! Toma cuidado, tá?! POR FAVOR!!!
_ Claro!! Pode deixar (e abriu o maior sorisão)
Fiquei super tranquila com o carinho que ele levou meu Bartozinho.
Entramos no avião e avisamos que tinha cachorro novamente pra um comissário, daí o comissário abriu a cabine do capitão e disse que tinha cachorro, o capitão disse que estava tudo ok. :D
Nisso, Filó miava horrores. Como ela não parou, tascamos 1 gotinha de dramim nela (dose menor, porque.. sei lá, ne?! E o Bartô não tomou porque a veterinária disse que se ele estivesse tranquilo de um vôo para o outro, pra não dar.).
Aí começou a magia do Canadá e das pessoas de bom coração (ok, já tinha começado da policial ter liberado a multa de $1600), mas leiam só:

Nesse vôo sentamos na janela e perto da asa, tava chovendo muito e o avião nada de decolar por causa do tempo, nisso, pelo lado de fora, surgiu uma cabeça um pouco abaixo da minha janela (eram aqueles caras que mexem nos carrinhos que vem com as malas e colocam as malas pra dentro, sabe?) e entra mala.. e entra mala… de repente, quem eu vejo? MEU BARTOZINHO!!!! Falei pro Alan:
_ MÔ!! É O BARTÔ!!!!
E aí uns 4 caras começaram a prender a caixa dele numa plataforma láá no chão (e chovendo demais), eu só pensando:
_Owm… tadinho.. deve estar morrendo de frio…. ele não tá entendendo nada…
Quando de repente, surge na minha janela um celular com uma mensagem:
_ É seu cachorro?
GENTE!!! O cara que tava mexendo no carrinho das malas e que ia mexer no meu Bartozinho falou comigo escrevendo um texto no celular!!! NÃO É A COISA MAIS FOFA DO MUNDO?!?!?!
Eu disse que sim, aí ele escreveu de novo:
_ Ele vai de primeira classe.
Morri de tanta fofura!!
E de repente Bartozinho começa a subir:

Quando ele já tava dentro do avião, mais uma mensagem:
_ Vou deixar uma luz acesa pra ele.
E foi lá dentro das cargas (provavelmente acender a luz) e saiu. ♥♥♥♥
Quando ele tava quase descendo, agradeci horrores!!!!!!!!!!!!! Quanto amor!!!!! Que pessoa boa, meu Deus…
E voamos…. Dona Filomena querendo sair da caixa:

Mas depois de 30 minutos, dramim fez efeito de novo nela :D
Por algum momento pensei em ter ouvido um latido (já que ele estava embaixo de mim), mas pensei:
_ Não.. deve ter sido outro barulho parecido. (aham)

Chegando em Vancouver, lá fomos nós correndo pra parte das malas e ficamos esperando.. esperando.. e tinha uma área que era a de cargas especias e de repente abriu a porta!! E tinham amiguinhos com ele (4 da mesma dona)!!!!!!!! Ou seja, foi o latido dele que marido também disse que tinha escutado!!! ahhahaha Foi uma farra!!! 

Enfim.. chegamos todos bem, estamos curtindo horrores! Já compramos roupinha a prova de frio e chuva pra ele passear na rua e tudo. E esse foi o drama, que parando pra pensar, foi tudo muito mais tranquilo do que pensamos e realmente a Air Canada, como falaram pra gente, é excelente no transporte de animais (e de pessoas também, porque tem bancos largos e confortáveis na medida do possível).

26nov 2012

Canadá: O Vôo Com as Crianças – parte 1

Postado por às em Canadá, Família, Viagens

Enfim, chegou o grande dia… fomos primeiro pra Sampa pra casa do tio do marido que fica perto do aeroporto de Guarulhos.
Nem fomos abarrotados, né?
Fizemos isso por alguns motivos: nada de pegar TAM do Rio pra São Paulo com cachorro indo como carga, zelo muito pela vida do meu filho; outro motivo foi porque como não vendemos nosso carro no Rio, entregamos ele pro meu cunhado levar pra vender em Rio Claro (já havíamos deixado procuração com ele pra vender com calma), então foi até bom pois conseguimos nos despedir dele de novo.
Nosso vôo estava marcado pras 22:25 do dia 9 de novembro, chegamos lá de taxi (ó nós no taxi:)e super cedo (17:00) porque não sabíamos como ia ser o checkin do Bartô e também porque já perdemos um vôo na França por 4 minutos de atraso (hahaha :P), fizemos o checkin das malas e pagamos a taxa da Filó (que iria com a gente na cabine) e do Bartô (zilhões mais caro e pra ganhar cabelos brancos de preocupação), ficamos na area de fumantes com o Bartô no chão fazendo xixi e passeando, esperando dar 20:40 pra ele embarcar…

Demos 5 gotinhas de dramim pra ele (recomendado pela veterinária) e entramos no aeroporto de novo, nisso, Filozinha super calminha e quietinha (conseguimos que ela tivesse feito xixi e cocô antes de irmos pro aeroporto), na hora de falar com o atendente responsavel pelo Bartô na Air Canada, ele disse que o vôo havia sido cancelado (oi?!)!!! Como assim?!?
_ Por que?!?
_ Motivo de manutenção
_ ah… Então tá ótimo! Quero chegar viva!
(Vamos lembrar que tenho pavor de avião? e que Rio-São Paulo também foi feito de carro porque eu posso chegar de carro?!)
Eles estavam dando hotel pra todo mundo, mas esse hotel não aceitava animais… Ok.. Pagaram taxi e voltamos pra casa do tio do marido.
Dia seguinte, vôo às 13:05, checkin ia abrir as 9, chegamos as 8:20. Filó, puta da vida, miando horrores e saindo direto da caixa dela, Bartô, nem aí pra hora do Brasil (dramim do dia anterior acho que nem fez efeito, mas…).
Mesmo processo, ficamos até 11:40 passeando com Bartô até ele ser despachado… demos o dramim pra ele E pra ela (2 gotinhas pra parar de miar hehe), e entregamos ele pro moço da Air Canada… Chorei horrores!!! Lá foi ele pra um elevador e fomos nós atrás… e eu chorando… e então entramos na area onde tem o freeshop, essas coisas…
O vôo inteiro já conhecia a gente por causa deles.. E todo mundo falava com a gente… já praticamente não existia um gato… Filomena tava acordada, mas quietinha.. Toda linda e comportada.. Ah.. O Dramim.. <3
Quando era pra gente entrar no avião, eu perguntei pra atendente da Air Canada (lembrando que TODOS já conheciam a gente) e ela disse que o Bartô já estava no avião e que já tinham passado pelo rádio pros funcionarios e tripulantes… Mesmo assim, quando entramos no avião, falamos que tinha um cachorro e eles disseram que já sabiam também.. :)(Nunca é demais falar a mais nessas horas pra controlar o coraçãozinho da dona viajando com o cachorro de avião, né?!)
E pronto.. Simbora pra Toronto pra primeira parte da viagem com uma gata chapada…
E posso dizer que não sei se eu estava nervosa com Bartô lá embaixo e com a gata pronta pra fugir, mas esse vôo foi o que eu menos fiquei com medo na vida! Chorei, lógico, mas… tinham outras preocupações na minha cabeça além da minha vida hahah.
Bora ver um filminho?! (Na verdade vi um documentário da Kate Perry e marido viu uns 3 filmes)

E pro post não virar um livro, a segunda parte vou colocar amanhã ou depois.. mas preparem-se que terão cenas muito emocionantes.. de rolar lagriminha!! (vídeos virão, aguardem..)

06set 2012

Meu Bartô vai como carga… :(

Postado por às em Canadá

Ser mãe de animal não é nada fácil… rs.. Viajar com eles então dá muuuuito mais dor de cabeça do que filhos humaninhos..
Bem, delegamos algumas funções aqui em casa. Já que não podemos fazer muita coisa, pois não sabemos nada do visto estamos adiantando nosso lado. A missão do marido é fazer um site pra vendermos nossas coisinhas pros amigos, na verdade não vai ser vender e sim reservar, vender mesmo só quando o visto sair. A minha missão essa semana era ver a viagem do Bartô na cabine com a gente gostosinho.
Como devemos ir pela United Airlines por ser mais barato e por eu saber que eles dão mais valor aos animaiszinhos, resolvi me informar, pois no site deles não tem limites de peso. A parte de animais no site da United é bem explicadinho, porém não ter limite de peso, mas mesmo tendo as dimensões da caixa de transporte na cabine, eu precisava ligar pra na hora eu não tomar um susto e ter que me despedir dele ou até mesmo não viajar.
Liguei para o número 0800-7027500 e falei com uma mocinha mega simpática (adoro!) que disse que realmente não tem limite de peso, mas que pelo tamanho da bolsa de transporte, o animal deveriia ter uns 6 quilos no máximo, daí ela me passou as medidas: 28cm altura x 28cm largura x 45cm de comprimento. Bartô tem 37 de altura de cabeça baixa, todo corcunda, ou seja, ele não cabe nas medidas. Daí a mocinha simpática me deu o número do pessoal de Cargas da United que fica no próprio aeroporto daqui do Rio: 3398-7272, falei com um rapaz que sabia o que falava e me deu atenção por 10 minutos!!! AMO!
A pessoa aqui quase chorando no telefone, doendo a garganta de prender o choro, mas firme e forte na voz (ou não), tirou todas as suas dúvidas. A United não deixa o animal embarcar como carga através de pessoa física, direto no balcão, ou seja, precisa de um agente de cargas que faz tudo por você que é deles mesmo (United Cargo), daí eles fazem tudo, desde ir no Ministério da Agricultura pegar o documento pra entrar em outro país, quanto levar meu Bartozinho pra dentro do avião com todas as documentações certinhas. O que mais me confortou, foi quando ele disse que na conexão em Houston, eles vão pegar o Bartô, soltar ele num canil pra ele esticar as pernocas, comer, beber água e receber um carinho até o embarque novamente. Infelizmente nós não vamos ter acesso a ele nesse período, mas ele vai estar sempre no mesmo vôo que o nosso.
Além disso, ele também deu a dica para pegarmos vôos de segunda a quinta, porque animais como carga são considerados importação, então a alfandega de lá fica muito cheia no sábado e no domingo ela não abre, daí teríamos que pagar uma estadia pra ele no aeroporto porque ele não poderá sair de lá!!  Adorei essa dica também!
Não é pra eu me sentir beeem mais segura? Não chegou a sair nenhuma lagriminha!!!
E agora na segunda, o Sr. Osmar da Cargo vai me passar um email com um zilhão de informações e a facada pra despachar a criança…

16ago 2012

O Drama de Viajar de Avião com Cachorro e Gato

Postado por às em Canadá, Família

Como disse antes, a primeira vez que chorei quando soube que ia morar no Canadá foi imaginar meu Bartozinho indo pela esteira todo coitadinho, com aquele olhar de “mãe, tô sozinho, não me deixa!” Até hoje quando imagino essa carinha me dói demais o coração.
O ruim disso tudo é que não existe nem a possibilidade de pagarmos uma passagem só pra ele. Nadica!
Mas esperança é a última que morre e a irmãzinha dele recém chegada na família já está nos ajudando, desde que ela chegou ele emagreceu 1 quilo (!!) de tanto que ela faz ele correr pela casa, de tanto que eles brincam e se divertem.. esse foi inclusive um fator gigante que pensamos em não deixar ela aqui enquanto íamos. Dona Filomena também vai com a gente.. ainda mais pesando meros 2 quilos (ela tá ficando tão grandona!!! Tá com carinha de adolescente.. owm…) ela pode ir na cabine. Mas e o irmão?
O que me deu esperança foi ler que existe a Air Canadá que aceita até 10 quilos na cabine e que a United Airlines não tem limite de peso!!! (O melhor é que são as passagens mais baratas ihihih, mas parece que depende do modelo do avião.. ai ai… ). E quando vi num blog sobre o Amigos de Pelo, que é uma ONG que faz bolsas de transporte lindas e personalizadas inclusive para viajar no avião… Fofura!!! Vou fazer uma pro barbudo e pra bigoduda…  E o mais fofo disso tudo é que ainda ajuda os animais velhinhos.. owm… Dizem que a mocinha que atende é mega simpática e que orienta bem sobre as bolsas.
Agora imagina só nós 4 viajando felizes na cabine?! Agora eu posso chorar só por estar pegando um avião (PAVOR) e não por 2 motivos. :D
Espero que tudo que li seja realmente verdade e que ele realmente consiga viajar com a gente, até porque são umas 20 horas de viagem, né? Na torcida!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...