/ Brasileiros no Canada

13jun 2013

Finalmente: A Midwife

Postado por às em Canadá, Gravidez, Médicos

Eu PRECISO falar sobre a midwife. <3
Desde que descobri que estava grávida queria uma midwife (que é a enfermeira obstétrica no Brasil, alguns chamam de parteira, mas é uma parteira com formação academica resumindo toscamente), porém aqui no Canadá você precisa ir primeiro ao médico de família e só depois ele te indica um obstetra ou midwife, no meu caso foi na 20a semana. Quando minha médica perguntou se eu queria midwife ou obstetra perguntei qual era a diferença e ela resumiu falando que obstetra tem acho que 8 anos de formação e a midwife 4, então, a pessoa aqui mudou logo de idéia e escolheu obstetra.
Porém, conversando mais com as pessoas, eu sempre ficava com pulga atrás da orelha sobre não ter escolhido a midwife, mas ok. Até que uma grávida que conheci aqui pariu com uma obstetra super fofa, mas disse pra mim que se pudesse voltar atrás que teria com midwife por causa do tempo que a midwife fica com você no trabalho de parto (o obstetra só fica no expulsivo e as chances de você não pegar o próprio médico, caso ele não esteja de plantão são grandes, ou seja….). No dia que resolvi mudar pra midwife, chorei bastante com minha insegurança, conversei com uma amiga daqui que tinha tido com midwife e toca meu telefone do consultório da minha médica de família falando o dia e hora da consulta com o OB. Fiquei mega sem graça de falar que não queria mais.. mas como eu teria uma consulta com ela antes, falaria que tinha mudado de idéia.
Conversei com minha médica e ela disse que era tranquilo que a opção era minha e me indicou um grupo de midwives perto de casa. No mesmo dia fui lá e conversei com a menina da recepção que foi uma fofa e disse que infelizmente elas já estavam lotadas pro mês de setembro. Pronto! Meu chão sumiu! Ela me ajudou e me deu 4 opções de centros de midwives que ela confiava. Cheguei em casa e liguei pra uma: lotada, pra outra, lotada. Chorei mais. E toca meu telefone, era a recepcionista do primeiro centro dizendo que tinha achado uma midwife pra mim e que amava ela e que inclusive iria fazer um curso com ela em setembro, que provavelmente a gente se encontraria. Que pessoa fofa!!!! Ela não tinha a menor obrigação de fazer isso por mim e conseguiu uma. <3
Como era sexta, os centros de midwives geralmente não funcionam e sai deixando um bando de recados em secretárias eletronicas, inclusive nessa que ela disse que tinha vaga.
Chegou na segunda, meu telefone começa a tocar, eram os centros ligando pra dizer que não tinham vagas e cada um me indicava outros (e sempre no meio falavam bem daquele centro que disse pra recepcionista que tinha).
Resolvendo mais problemas, pensei: só falta doula ser dificil também. Liguei pra doula brasileira que me indicaram e ela foi a mais fofa do mundo também me indicando outros zilhões de centros de midwives e até me disse de um que era justamente voltado pra imigrantes que já chegaram grávidas e que tinham dificuldade de encontrar midwife.
No dia seguinte, liga o centro que disseram que tinha vaga (aquele da recepcionista), falando que tinham vaga mesmo e me fizeram varias perguntas como: onde quero ter meu filho, quanto tempo ele tava, qual o nome do meu marido, etc. E marcaram a consulta. UFA!
Resolvi cancelar a consulta com o OB e pronto, lá fomos nós na primeira consulta com a midwife que o governo aqui de BC paga. Fiquei sabendo que em Alberta, por exemplo, midwife não é coberto.
Chegamos lá e fomos recebidos num clima mega aconchegante, o hall de entrada era como se fosse uma sala moderna, com cafezinho e chazinho, cheio de revistas e fotos fofas de bebês.

Entrando mais um pouco, tinha uma sala onde elas fazem o papa nicolau e a outra que era o lugar da consulta. Primeiro que não é maca, é divã, segundo que não é chão frio, são tapetes fofinhos e gostosos. Sentamos no divã e começamos a conversar.
Ela disse tanta coisa (1 hora de bate papo!), disse que midwife é pra gravidez de baixo risco que é a maioria, alto risco é pra OB, daí marido, que não tinha dúvida nenhuma, começou fofamente a perguntar umas 9283776296 de coisas:
_ Mas quando é alto risco?
_ Alto risco é quando tem diabetes gestacional que tem que tomar insulina, quando é gravidez de gêmeos, quando tem pressão alta não controlável, etc.
_ Mas e se a grávida que é de baixo risco se tornar de alto risco?
_ Nós indicamos um OB caso precise, mesmo assim vamos continuar acompanhando normalmente em conjunto, mas o parto será feito pelo OB.
_ A Carol tem medo de ter hemorragia porque ela doa sangue muito rápido. Isso é algum problema? (Sim! Ele falou por mim!!! hahahahah)
_ Sua coagulação é normal ou rápida? – disse ela olhando pra mim.
_ É. Já fiz o teste é é normal.
_ Então não tem com o que se preocupar :D
Aproveitei o papo dos dois e disse pra ela que eu só não teria normal se o baby não tivesse virado. Daí ela disse que quando isso acontece, lá pela 35a semana, eu vou com um OB indicado por elas pro hospital e o OB vira meu bebê e pronto! Vou pra casa com meu bebê de cabeça pra baixo e depois faço o parto normalmente. :D

Depois falou um pouco de como funciona o processo de quando eu entrar na hora do parto, que ela vai pra minha casa e depois juntas vamos pro hospital, caso eu queira em hospital (SIM!). Falou que quando eu sair do hospital, ela vai na minha casa no dia seguinte me ajudar a amamentar, ver como tá minha cabeça e meu corpo e continua nos acompanhando por 6 semanas!! <3 Disse também que tudo quem decide sou eu, que elas explicam tudo pra eu poder tomar minhas decisões. Falei que não queria tomar decisão nenhuma porque sou mega insegura, daí ela disse que não tinha problema, que muita gente também preferia assim, que então ela iria dizer pra mim o que a maioria das pessoas fazem, ou que elas recomendam. Sempre me deixando mais tranquila possível. Falou também que seria ideal eu pensar em ter uma doula, daí já disse que tinha uma. :D

Depois ela mediu meu útero com a trena, me mostrou com meu dedo onde estava o final e início dele, me fez senti-lo (lógico que não senti nada, mas falei que estava sentindo tudo ahahhah). Depois pegou um aparelhinho pra ouvir o coração e falou pro marido gravar (geralmente não oferecem isso aqui), estava 152 bpm, indo contra todas as teorias dos batimentos cardíacos de meninos. Tirou minha pressão e pronto!! AMEI!!!

Fui ao banheiro e enquanto isso, ela ensinou o marido como ouvir o coração do baby com um rolo de papel toalha!!!! Adoro essa tecnologia canadense ahahahah, mas que só dá pra ouvir a partir da 30a semana, ou seja, na próxima consulta vamos levar o rolo pra ela ensinar melhor (daí eu passo pra vocês).
Na verdade ela não, uma outra. Elas trabalham em equipe e são 3 midwives que vão nos acompanhar pra não correr risco de nenhuma delas não estar disponível na hora do parto. Por isso todas as outras estavam lotadas.

Enfim, marido disse que assim que entrou no consultório achou hipponga demais, confortável demais pro gosto dele, mas que depois ele adorou e ficou mega tranquilo quando eu disse que tinha gostado. Eu já sabia que seria assim porque já tinha conversado antes com uma amiga e ela tinha me dito que o ambiente era mega aconchegante. E digo mais: super trocaria minha casa pelo consultório delas :D

 

09mai 2013

Papo de Gordo: Comidas de Janeiro

Postado por às em Comida

Oi?! Janeiro?! É Mister M… fazia tempo que não postava as deliciosas comidas do Canadá, mas essa crise passou! Na verdade, sono. O bom é que sou uma pessoa organizada (aham) e guardei tudinho aqui com nome do lugar e tudo :D
(OBS: Não vou mais colocar repeteco quando partirmos pra 3a vez, ok? haha)

Takis’ Taverna: Esse é aquele lugar que dá dó. Do ladíssimo (acho que umas 5 lojas ao lado) tem outro grego, o Stephos que eu já mostrei aqui. O Stephos tem fila na porta SEMPRE desde as 4:30 da tarde, enquanto o Takis’ não.. coitadinhos.. morro de dó porque a comida é tão boa quanto (marido acha melhor até) e sempre tem gente, mas nunca lota. Vale super a pena!

Miko Sushi: Esse é o japa que a gente conhece no Brasil. Bem, que eu achava que conhecia… todos os japas sushis aqui são MARAVILHOSOS e BARATCHENHOS!! Do tipo come até o ** fazer bico e sai $40 pra 2, no mááááximo!! E acho que por ser feito por japa mesmo, original, é zilhões mais gostoso.

Foi mal.. não deu tempo de fotografar.

Ebi Ten: Mais um tipo de japa!! Esse é japa fast food (já falei que aqui tem 4 tipos de japas, né?) e é bem gostosinho.. Tempura de camarão e o resto é uma gororoba com tofu e carne de soja.

Belgian Fries: Reza a lenda que é o melhor Poutine de Vancouver (Poutine é uma comida típica canadense.. se é que é possível chamar aquilo de comida.. em breve aqui)… mas não estávamos preparado para isso. Esse restaurante na época estava sendo gravado um documentário sobre as melhores comidas daqui e tinha aviso por toda parte.. fiquei com medo de aparecer porque tinham cameras.. rs. Comi uma tilápia com batata frita (porque lá é especializado em batata e eu não recuso JAMAIS uma batata do jeito que ela for) e estava tudo de bom!!

Cassia Cupcakery: uma birosquinha mega fofa que me chamou pra entrar e comprar alguns mini-cupcakes.. beeem gostosos!!

Market Place IGA: Esse só vou colocar uma vez, porque virou rotina de tomarmos uma sopinha toda segunda de janta antes de fazermos compras… e que sopinha gostosa!!! Já fizemos até amizade com a atendente figuraça. Essa daí acho que era de queijo com cogumelo, mas tem de tomate, de massinha, canja, tudo bem gostoso.

The Old Spaguetti Factory (repeteco): Definitivamente sou apaixonada por esse lugar. Pena que fica meio longe pra ir a pé e muito perto pra ir de ônibus, daí rola preguiça (é bom que damos mais valor). Esse dia já tava mega gripada (acho que “reação” da gravidez) e voltamos de taxi. Sopinha de vovó de entrada e massa com camarão e cogumelo ao molho Alfredo. ai ai..

The Cheesecake Factory: Paaaaara o ônibus que eu quero descer!!! Lembram que eu fui pra Seatlle?! Que o destino era a Cheesecake Factory?! Mega gripada? Pois bem.. demos de cara com um restaurante sem fila e vazio, super atipico pro que estávamos acostumados na California. Chegamos lá e já nos esbaldamos no pãozinho (não muito, pois sabíamos o que nos esperava). Pedi um salmãozinho e lóóógico que de sobremesa uma cheesecake (dividindo com marido, porque.. né?). como eu tava gripada, achei que a comida não estava tão boa por isso, mas depois marido confessou que não foi o que ele esperava. Ou nossos padrões mudaram (o que eu duvido), ou a lenda que li uma vez na internet de que a Cheesecake Factory de Seattle não era tão boa era verdade. Prefiro acreditar nessa segunda opção, porque sou APAIXONADA por esse restaurante.

Hamburguer Mary’s Diner: Shake de coco: aprovado! Hamburguer de frango (era filé de peito e não hamburguer): aprovado! AMEI! Adorei o clima anos 60 do lugar.. me fez lembrar um pouco o The Fifties que éramos sócios nos Brasil. Marido não morreu de amores, mas eu voltaria lá fácil! Principalmente pelo shake :D

The Firewood Café: Difícil achar uma pizza a lenha aqui com molho de verdade que entregue em casa.. parece até Rio de Janeiro! Mas essa aí… ah… TUDO!!!! E foi de camarão ao molho pesto!! Divina!!

IHop: Desde quando fomos pra California e descobrimos o IHop e nunca tomamos café da manhã lá, marido ficava pentelhando. Quando descobrimos que tinha IHop aqui (não muito perto, mas dá pra ir a pé), na mesma hora ele falou que queria ir. Resolvi experimentar a famosa french toast que todo mundo fala que parece rabanada. Não gostei. Achei nada a ver! Na verdade não é que não gostei, mas fui com uma idéia diferente dela. AH! E esse bacon da foto aí?! Como assim Carol?! Logo você!!! Bacon de peru!!! AHHHHHHH!!!!!!! Morri quando vi (da pra ver na foto que marido pediu panquecas… heheh Eu fui bem mais light com meu bacon e omelete :P).

Brazil Station: PRECISAVA de arroz, feijão e farofa!! Muito mesmo!!! De tremer!! Tudo bem que eu faço em casa, mas queria o arroz e feijão dos outros! Sabe aquele da tia ou da vó? Tipo isso. Só que, chegando lá…. me deparei com strogonoff de frango. E se eu leio a palavra strogonoff, meu mundo acaba, viro um cavalo com tapa que só enxerga aquilo. Mas provei o arroz e feijão do marido.. hmmmmm tava bom demais!! Saí rolando.

Vou correr atrás do prejuízo e fazer os outros meses, além do Project 365, etc. Tô dedicada ;)

24jan 2013

Fui ali.. almoçar nos EUA e já voltei…

Postado por às em Viagens

SIM!!! Fizemos isso na semana retrasada!!! Sábado decidimos se a gente iria pro norte conhecer mais British Columbia ou se a gente desceria até Seattle nos EUA no domingo porque o tempo estava lindo!! Alugamos um carro domingo mesmo de manhã cedinho (não temos carro aqui porque fazemos tudo a pé, ou de transporte público) e fomos embora com os passaportes antigos na mão que são onde tem o visto dos EUA. Na hora de alugar o carro a mulher falou que deveria ter uma fila enoooorme na fronteira, mas dane-se estávamos na pilha e cagamos e andamos pro que ela disse. Conclusão, antes de chegar na fronteira, tem umas placas dizendo quanto tempo estava demorando pra passar e era de… 5 minutos!!! (Oeeee!). Na verdade demorou mais.. 10 minutos na fila dos carros. Daí como era a primeira vez que estávamos fazendo isso, tivemos que sair do carro e ir pra um prédio da polícia americana e falar pra onde a gente estava indo:
- CHEESECAKE FACTORY!!
A americana não deu nenhuma risadinha e não fez nenhum comentário.. (sim.. estávamos nos EUA.. se fosse no Canadá…) e quanto tempo a gente ia passar (algumas horas, tá valendo?!), aí ela nos deu um visto de multipla-entrada que vale 1 mês a mais que o nosso visto oficial (ok.. o dela também é oficial, mas vem num papelzinho grampeado no passaporte novo). EEEE!!!!

O único problema desse dia é que estava passando muuuuuuito mal!! Estava no auge da primeira gripe canadense, então nem curti o momento. Fomos até Seattle, comemos na Cheesecake Factory (ai ai… ), descemos a pé até o Public Market, conhecemos o primeiro Starbucks do mundo e pedi arrego, chorando pra ir embora.
Fazendo uma vista super rápida, achei Seattle idêntico à San Francisco.. conclusão: Horrível! Cheio de mendigo e cidade suja, mas vou dar um desconto porque estava muuuito mal! Foi a primeira vez que passei em frente de uma ROSS e não entrei, só queria ir pro carro.
Na volta, conhecemos alguns Outlets (os canadenses descem pra fazem compras), vimos que quase na fronteira tem um Outback (EEEEEE #addicted) e na hora de voltar pro Canada… aí sim.. demoramos um bocado..  acho que uns 30 minutos.


Agora vejam a diferença do americano pro canadense na fronteira (acho que por isso que a fila estava maior pra entrar ahahahah):
O policial:
_ Boa noite! O que vocês foram fazer nos EUA? (abrindo nosso passaporte)
_ Conhecer Seattle.
_ E vocês trabalham aqui?
_ Sim!
_ O que você faz? (Pro marido)
_ Sou animador
_ Ah é?! Pra qual empresa?!
_ Sony
_ Nossa!! Tem muitos projetos lá, né?! Conheço algumas pessoas! Você está fazendo o que?!
bla bla bla bla bla bla bla
_ E compraram alguma coisa nos EUA?
_ Não..  (MENTIRA!! Compramos 2 roupas e uma coleira pra Filó)
_ ok! Vão lá! (Eles acreditam na palavra.. owm… dá até dó de mentir)

OBS 1: Os canadenses são MEGA simpáticos!!! Não é a toa que dizem que o Canadá é os EUA melhorado hahaha (#aquelas que já vestiu a camisa do país)
OBS 2: A lei diz que se você passar até 24h nos EUA, você não pode trazer NADA! (ok.. roupas dizem que não batem na alfandega, então…) e entre 24 e 48h você pode trazer até $200.

OBS 3: de Vancouver pra Seattle foram 3 horas de viagem com imigração… Pertinho ;)

30nov 2012

Canadá: O Vôo Com as Crianças – parte 2

Postado por às em Canadá, Família, Viagens

Chegamos em Toronto doidos pra pegar o Bartô e ver como ele estava, mas assim como quando viajamos sem a Filó pra um final de semana em Sampa, falei pro marido que ele iria na frente ver se o Bartô estava vivo, que eu não ia aguentar e não queria ver…
Saímos do avião e fomos andando rápido em direção as malas, só que antes tinha que passar pela imigração, nisso Filó já estava acordada e miando o tempo todo.
Chegamos perto de onde o povo estava pegando as malas e marido mais na frente, de repente ele corre e entra num lugar que não consigo mais vê-lo.. saí correndo também desesperada (com Filó sempre comigo) e de repente tava lá o Bartô, todo lindo, feliz da vida. Me joguei no chão perto dele e chorei horrores de abrir o berreiro de tanto alívio. Alan abriu a caixa dele e Bartô veio todo lindo com a tartaruga de pelúcia dele na boca.. owm…. choro só de lembrar, gente!! Como assim, ele todo lindo, ainda lembra de pegar a tartaruga e mostrar pra gente?!?!?!?! Coisa linda da mãe!!!!! :’)
Daí, marido foi pegar as malas, enquanto isso comecei a dar comida pra ele (comeu tudo!!) e água (bebeu meia garrafinha que pegamos no vôo). Isso tudo dentro da caixa de transporte, porque né? Já estávamos em terras canadenses… 
Com as crianças devidamente lindas, alimentadas e hidratadas, lá fomos nós tentar pegar o outro vôo (por causa do cancelamento do vôo anterior, nossa escala tinha somente 1:30!), daí de repente um árabe com tubante e tudo da polícia canadense nos para e pergunta todo grosso:
_ Por que você não declarou o cachorro?
_ Ahm?! (marido disse) Err… hmmm….
_ Vai lá praquela área.
E lá fomos nós pra polícia… Uma poilicial canadense nos atendeu e disse:
_ Vocês tinham que ter declarado o cachorro e o gato aqui nesse papel. A multa pra cada um é de $800.
(Eu normal, sem entender nada ainda, feliz da vida com meu Bartozinho vivo)
Alan disse:
_ Nossa! Mas…
_ Tudo bem. Vou dar somente uma advertência, mas da próxima vez leia com mais atenção. Vai lá no caixa e paga somente o imposto de importação de animais que é de $40 e vou liberar vocês rapidinho porque vocês tem o outro vôo que é daqui a pouquinho.
Depois que saímos, marido:
_Você não entendeu nada, né? Tadinha,,,,
AHHAHAHAHAHA dá 0 pra mim!

Agora era outro grupo de profissionais da Air Canada e outras pessoas no vôo.. já não tinha mais quase brasileiro e não éramos mais conhecidos por todo o avião…
Colocamos o Bartô num carrinho perto da esteira pra onde as malas iriam e ficamos esperando alguém pegar ele. Daí veio uma moça verificar a etiqueta e eu disse:
_ Ele vai pra Vancouver comigo, tá?!
_ Sim!
Depois veio um negão todo sorridente pegando ele e eu falei:
_ Oh! Toma cuidado, tá?! POR FAVOR!!!
_ Claro!! Pode deixar (e abriu o maior sorisão)
Fiquei super tranquila com o carinho que ele levou meu Bartozinho.
Entramos no avião e avisamos que tinha cachorro novamente pra um comissário, daí o comissário abriu a cabine do capitão e disse que tinha cachorro, o capitão disse que estava tudo ok. :D
Nisso, Filó miava horrores. Como ela não parou, tascamos 1 gotinha de dramim nela (dose menor, porque.. sei lá, ne?! E o Bartô não tomou porque a veterinária disse que se ele estivesse tranquilo de um vôo para o outro, pra não dar.).
Aí começou a magia do Canadá e das pessoas de bom coração (ok, já tinha começado da policial ter liberado a multa de $1600), mas leiam só:

Nesse vôo sentamos na janela e perto da asa, tava chovendo muito e o avião nada de decolar por causa do tempo, nisso, pelo lado de fora, surgiu uma cabeça um pouco abaixo da minha janela (eram aqueles caras que mexem nos carrinhos que vem com as malas e colocam as malas pra dentro, sabe?) e entra mala.. e entra mala… de repente, quem eu vejo? MEU BARTOZINHO!!!! Falei pro Alan:
_ MÔ!! É O BARTÔ!!!!
E aí uns 4 caras começaram a prender a caixa dele numa plataforma láá no chão (e chovendo demais), eu só pensando:
_Owm… tadinho.. deve estar morrendo de frio…. ele não tá entendendo nada…
Quando de repente, surge na minha janela um celular com uma mensagem:
_ É seu cachorro?
GENTE!!! O cara que tava mexendo no carrinho das malas e que ia mexer no meu Bartozinho falou comigo escrevendo um texto no celular!!! NÃO É A COISA MAIS FOFA DO MUNDO?!?!?!
Eu disse que sim, aí ele escreveu de novo:
_ Ele vai de primeira classe.
Morri de tanta fofura!!
E de repente Bartozinho começa a subir:

Quando ele já tava dentro do avião, mais uma mensagem:
_ Vou deixar uma luz acesa pra ele.
E foi lá dentro das cargas (provavelmente acender a luz) e saiu. ♥♥♥♥
Quando ele tava quase descendo, agradeci horrores!!!!!!!!!!!!! Quanto amor!!!!! Que pessoa boa, meu Deus…
E voamos…. Dona Filomena querendo sair da caixa:

Mas depois de 30 minutos, dramim fez efeito de novo nela :D
Por algum momento pensei em ter ouvido um latido (já que ele estava embaixo de mim), mas pensei:
_ Não.. deve ter sido outro barulho parecido. (aham)

Chegando em Vancouver, lá fomos nós correndo pra parte das malas e ficamos esperando.. esperando.. e tinha uma área que era a de cargas especias e de repente abriu a porta!! E tinham amiguinhos com ele (4 da mesma dona)!!!!!!!! Ou seja, foi o latido dele que marido também disse que tinha escutado!!! ahhahaha Foi uma farra!!! 

Enfim.. chegamos todos bem, estamos curtindo horrores! Já compramos roupinha a prova de frio e chuva pra ele passear na rua e tudo. E esse foi o drama, que parando pra pensar, foi tudo muito mais tranquilo do que pensamos e realmente a Air Canada, como falaram pra gente, é excelente no transporte de animais (e de pessoas também, porque tem bancos largos e confortáveis na medida do possível).

26nov 2012

Canadá: O Vôo Com as Crianças – parte 1

Postado por às em Canadá, Família, Viagens

Enfim, chegou o grande dia… fomos primeiro pra Sampa pra casa do tio do marido que fica perto do aeroporto de Guarulhos.
Nem fomos abarrotados, né?
Fizemos isso por alguns motivos: nada de pegar TAM do Rio pra São Paulo com cachorro indo como carga, zelo muito pela vida do meu filho; outro motivo foi porque como não vendemos nosso carro no Rio, entregamos ele pro meu cunhado levar pra vender em Rio Claro (já havíamos deixado procuração com ele pra vender com calma), então foi até bom pois conseguimos nos despedir dele de novo.
Nosso vôo estava marcado pras 22:25 do dia 9 de novembro, chegamos lá de taxi (ó nós no taxi:)e super cedo (17:00) porque não sabíamos como ia ser o checkin do Bartô e também porque já perdemos um vôo na França por 4 minutos de atraso (hahaha :P), fizemos o checkin das malas e pagamos a taxa da Filó (que iria com a gente na cabine) e do Bartô (zilhões mais caro e pra ganhar cabelos brancos de preocupação), ficamos na area de fumantes com o Bartô no chão fazendo xixi e passeando, esperando dar 20:40 pra ele embarcar…

Demos 5 gotinhas de dramim pra ele (recomendado pela veterinária) e entramos no aeroporto de novo, nisso, Filozinha super calminha e quietinha (conseguimos que ela tivesse feito xixi e cocô antes de irmos pro aeroporto), na hora de falar com o atendente responsavel pelo Bartô na Air Canada, ele disse que o vôo havia sido cancelado (oi?!)!!! Como assim?!?
_ Por que?!?
_ Motivo de manutenção
_ ah… Então tá ótimo! Quero chegar viva!
(Vamos lembrar que tenho pavor de avião? e que Rio-São Paulo também foi feito de carro porque eu posso chegar de carro?!)
Eles estavam dando hotel pra todo mundo, mas esse hotel não aceitava animais… Ok.. Pagaram taxi e voltamos pra casa do tio do marido.
Dia seguinte, vôo às 13:05, checkin ia abrir as 9, chegamos as 8:20. Filó, puta da vida, miando horrores e saindo direto da caixa dela, Bartô, nem aí pra hora do Brasil (dramim do dia anterior acho que nem fez efeito, mas…).
Mesmo processo, ficamos até 11:40 passeando com Bartô até ele ser despachado… demos o dramim pra ele E pra ela (2 gotinhas pra parar de miar hehe), e entregamos ele pro moço da Air Canada… Chorei horrores!!! Lá foi ele pra um elevador e fomos nós atrás… e eu chorando… e então entramos na area onde tem o freeshop, essas coisas…
O vôo inteiro já conhecia a gente por causa deles.. E todo mundo falava com a gente… já praticamente não existia um gato… Filomena tava acordada, mas quietinha.. Toda linda e comportada.. Ah.. O Dramim.. <3
Quando era pra gente entrar no avião, eu perguntei pra atendente da Air Canada (lembrando que TODOS já conheciam a gente) e ela disse que o Bartô já estava no avião e que já tinham passado pelo rádio pros funcionarios e tripulantes… Mesmo assim, quando entramos no avião, falamos que tinha um cachorro e eles disseram que já sabiam também.. :)(Nunca é demais falar a mais nessas horas pra controlar o coraçãozinho da dona viajando com o cachorro de avião, né?!)
E pronto.. Simbora pra Toronto pra primeira parte da viagem com uma gata chapada…
E posso dizer que não sei se eu estava nervosa com Bartô lá embaixo e com a gata pronta pra fugir, mas esse vôo foi o que eu menos fiquei com medo na vida! Chorei, lógico, mas… tinham outras preocupações na minha cabeça além da minha vida hahah.
Bora ver um filminho?! (Na verdade vi um documentário da Kate Perry e marido viu uns 3 filmes)

E pro post não virar um livro, a segunda parte vou colocar amanhã ou depois.. mas preparem-se que terão cenas muito emocionantes.. de rolar lagriminha!! (vídeos virão, aguardem..)

12set 2012

Finalmente!! Entrada no Visto!!

Postado por às em Canadá


AHHHHH!! Caceta! Finalmente hoje demos entrada no visto!!! Estávamos mega nervosos porque o tempo está passando e já tinham 15 dias que o LMO estava pronto e nada dos advogados da empresa do marido mandar a papelada! A gente já fazendo as contas e só pensando: Putz.. não vai dar tempo.. O que a gente pode fazer pra adiantar?
Marcamos segunda-feira o exame médico, que tem que ser o que o consulado indica, daí vamos lá amanhã tomar a facada e fazer o Raio X do torax pra ver se não tem tuberculose (ok.. NUNCA fiz esse raio X na vida e estou APAVORADA! Marido fez há pouco e não deu nada, mas eu nunca fiz.. não sei se tive alguma pneumonia mal tratada, nem se tenho qualquer outra marquinha no pulmão pra eles encrencarem… fora a hipocondríaca que acha que qualquer coisa que tem é câncer, né? Óbvio que minha tosse nervosa apareceu – sim! Eu tenho e descobri que era nervosa quando mamy foi embora e um amigo meu me disse que tinha também – e eu não tinha a tosse há 4 anos, já estou com ela desde que apareceu essa história do Canadá.). Pelo menos enquanto eles não mandam o requerimento do exame, vamos fazer exame de sangue em laboratório com calma, nada de pagar R$ 300,00 cada pra saber se somos HIV positivos, essas coisas. Vamos pagar só o Raio X que é baratinho e fazer no consultório do médico indicado mesmo.. e a consulta facada também (vamos tentar colocar isso na conta da empresa rs).
Mas finalmente, hoje entregamos as 92856289756 de folhas que precisa pra dar entrada no visto, vamos esperar o pedido do exame médico, e como já vai estar feito, vamos levar o pedido pro médico que já vai estar com tudo nosso pronto e ele vai enviar pra Ottawa… de lá, sendo aprovado, eles enviam um documento pro Consulado do Canadá em Sampa e só aí que chega no VAC daqui do Rio e PRONTO! Partiu!
Esse processo todo demora quase 2 meses, acreditamos que com essa história de antecipar o exame médico, vamos ganhar 1 semana, ou seja, início de novembro vazamos.
Compramos pros meus sogros ficarem felizes e falantes com a gente um telefone do Skype, é muuuuito legal! Deu até vontade de ter, rs..  sogrinha vai ficar feliz :D Já que a tecnologia não é muito o forte dela, rs..  (apesar de agora ela ter até entrado no Facebook!! Muito muderna)

Decidimos também vender TUDO! Foda-se! O que temos de novo (novíssimo) é o nosso escritório (ok, outras coisas também), mas de móveis, quase tudo da época da minha mãe, então voltando de lá, vamos montar a casa com a nossa cara. Ou seja, em breve, terá um site com tudo à venda e vamos reservar pros amigos, porque se não sair o visto, mantemos as coisas, mas saindo, temos que nos desfazer em no máximo 2 semanas. Correria? Imagina. O pior de tudo é o carro, lindo e novo. Judiação.

21ago 2012

Nosso Processo pro Canadá

Postado por às em Canadá

Bem, vamos às últimas atualizações (cada vez mais ansiosa e com raiva de ser um processo burocrático e que estamos ainda de mãos atadas, não podendo adiantar nada, nem ver nada):
Ainda não saiu o Work Permit (Permissão de trabalho que precisamos pra dar entrada no visto). Era pra sair essa semana, mas na verdade não era nada disso! Tem um processo a mais no tramite, existe um tal de LMO (Labor Market Opinion), e é com esse documento que prova pro governo do Canadá que a Sony não tem nenhum canadense apto pra preencher o cargo do marido, com esse documento, a Sony envia pra um outro lugar que aí sim liberam o Work Permit. Reza a lenda que esse LMO vai sair sexta, no maáááximo segunda, daí sim eles vão dar entrada pro Work Permit, que não sabemos quanto tempo demora pra sair… e só aí damos entrada no visto canadense, que parece que demora agora 1 mês e meio (disseram 2, agora diminuiu.. ok).
O pior disso tudo é que oficialmente vamos no frio.. muito provavelmente o visto, dando tudo certo, sai no meio/final de outubro e daí só em novembro que vamos pra lá. Queria tanto ir no início de outubro.. mas não vai ser assim.. ok. Mas espero que realmente saia e que o mundo não acabe em 21 de dezembro de 2012 (eu tenho medo do Big One que é o terremoto que é esperado na costa leste dos EUA e que de lambuja deve pegar um pouquinho o Canadá, ninguém que tá no Canadá tme medo disso não?!, Tô me cagando de medo da maremoto!!! Mas isso é papo pra outro post).
Bem, é isso. Tô ansiosa.
AH! E tascaram uma empresa de consultoria de realojamento pra falar com marido e eles já enviaram um monte de informações sobre que documentos levar das crianças (a mulher até pediu foto deles e disse que eles eram fofos demais!! Eu sei.. eu sei..) e vão nos dar outros suportes, sobre seguros, cursos gratuitos, vão procurar apartamentos que aceitem 2 animais, etc, muito legal e chique hehehe.

06ago 2012

:O Big News!!!

Postado por às em Canadá

Folha do CanadaAgora estou liberada, algumas pessoas sabem, mas a maioria não.. e eu não podia contar porque minha sogra ainda não sabia, então já viu, né? Mas… estou indo morar no Canadá (ou não)!!!! 8-O Como assim?!?!?! Explico-me:
Marido foi chamado pra trabalhar na Sony, no longa Os Smurfs 2 e é o maior sonho dele.. lembram que falei de sonhos?! Pois é.. ele já havia trabalhado em longas internacionais, mas diretamente do nosso escritório, sempre via online.. Perfeito, né? Sim! Já tínhamos até desistido de ir pra fora.. porque o sonho dele era participar de longas gringos.. 1 semana antes da Sony mandar email pra ele, a gente tinha até conversado:
Ele: _ Sabe, não penso mais em morar fora…
_Também não.
_Aqui tá tão bom, ne? O Rio é tão lindo e estamos tão bem, morando bem, qualidade de vida, você com sua carreira crescendo, com nome no mercado e eu com a minha fazendo meus longas daqui e trabalhando numa empresa bacana, né?
_ É!

1 semana depois… “Hey Alan… “:
_Mo, recebi um e-mail da Sony.. vou responder só pra ver qual é, mas não vai dar em nada porque ano passado não deu certo, não vou arriscar tudo pra ir pra lá..
_ Ok.

Dia seguinte toca o telefone:
_”Hi Alan…”
Desliga o telefone.
_Mo! O diretor do filme me ligou.. acho que vai rolar.
_ Será?
_Não sei..

Dia seguinte, triiiim:
_ “Hi Alan.. ”
Desliga o telefone.
_ Mo! A recruiter da Sony me ligou.. precisamos conversar…

E o resto vocês já viram, né? Quando a gente menos espera é quando acontece..
Estamos no processo do Work Permit onde a Sony precisa provar pro governo do Canadá que não existe animador canadense capacitado para o cargo e daí eles nos dão um documento pra pegarmos o visto. De lambuja, estamos tentando pegar visto de trabalho pra mim também (sideibem).
E quando seria somente a nossa próxima viagem de férias… estamos indo pra morar teoricamente até março.. Eu, marido, Bartolomeu e Filomena. Todo o processo, acabamos de ficar sabendo, ainda deve demorar umas 2 semanas pro Work Permit sair e 2 meses pro Consulado do Canadá no Brasil liberar o visto, ou seja, só final de outubro… frrrrrio!!

Muito provavelmente muitos dos próximos posts serão sobre meu drama de levar as crianças (meu primeiro choro não foi a falta da família e amigos, foi imaginar o Bartô indo pela esteira do checkin ficar longe de mim por 17 horas todo coitadinho dentro da caixa de transporte triste, todo se tremendo de medo :´() e todo o processo que anda acontecendo, meus medos, etc..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...