05dez 2013

365 Project – Junho 2013

Postado por às em Project 365


01 – Aniversário dos maridos!!! (Meu e da Lu);
02 – Maior loja de sorvete do mundo!! (sei lá, mas tem 280 tipos de sabores, todos ruins ahha);
03 – Dragonfruit!!! AMEI!;
04 – Pança;
05 – Presentes mega fofos e a cara da gente da Helen <3;
06 – Primeira consulta com a Midwife!! :D;
07 – Esse Five Guys não serve pra mim.. :( ;
08 – Compramos uma pipoqueira retrô linda e saudável!;
09 – Italian Day;
10 – Primeiro dia de aula!! Tipo teen ahhaha;
11 – Dentista;
12 – Olha ele aí!!!;
13 – Autenticar documento pro Brasil demora e é caríssimo!;
14 – Esmalte nude novo;
15 – Preparando o Weekly Project do curso;
16 – Parquinho!!!;
17 – Weekly Project!! Momentos de tensão;
18 – Protesto!!!! Aqui também teve!!!;
19 – Nossa casa nova!!!;
20 – Eles também protestaram pro site As Mammarazzi!;
21 – Na feirinha noturna de Richmond.. ah.. o verão… ;
22 – Festinha junina!!! 15 paçocas que eu comi, vai?!;
23 – Vendo colchão descente <3;
24 – Teste de glicose;
25 – Criança dormindo e outra na janela <3 ;
26 – Visto dos EUA renovado!! Até 2023!! :-O;
27 – Teste de glicose 2, pra ver se tenho mesmo a tal da diabete gestacional.. ;
28 – Último dia do projeto do marido;
29 – Preparando pra mudança!!;
30 – Finalmente saímos daquela bosta de apartamento!!! EEEEE!!!

 

28nov 2013

Relato do Parto – Parte 3

Postado por às em Gravidez

(pra quem não leu, a primeira parte tá aqui e a segunda parte aqui.)

E lá mudaram a grávida de novo de posição.. dessa vez ela ficou de lado, com as pernocas completamente fechadas e travadas (oi?!), segurando a mão do marido.
A sensação das contrações que antes pareciam cólicas menstruais, viraram então cólicas parecidas com a vontade de fazer cocô.

* Não leia se for fresconilda(o) e tiver nojinho:
Falando em fazer cocô, a fotógrafa tinha falado pra grávida que ela poderia ter a sensação de querer “reinar”, mas que na verdade era a cabeça do bebê pressionando pra sair que dá a sensação de ter uma bosta pedindo pra sair e essa sensação ela teve o parto inteiro.

Voltando…, a grávida tinha 3 vontades de empurrar em cada contração e a terceira era a que ela empurrava mais. Como ela estava de pernocas fechadas, falaram pra mudar de posição e tascaram ela de barriga pra cima apoiando as pernas num ferro que “surgiu” na maca como mágica, além disso, a midwife fez um segurador de pano maravilhoso, onde a cada contração a grávida fazia força com os braços e não com as pernas pra empurrar o menino.

A cada empurrada de por exemplo, 5mm, voltava 4mm quando terminava.. legal, né? Midwife falava pra empurrar e segurar por uns 5 segundos pra não voltar tudo de novo. Ok.
A grávida ficou nessa história por um booom tempo (marido dela tinha falado que foram 3 horas, mas de acordo com o relato da doula, foram 2). Tascaram um espelho gigante na frente da perseguida pra grávida ver o que estava acontecendo lá embaixo já que ela escreveu isso no Plano de Parto que fez antes e como um milagre, a visão dela que precisa de óculos com 7.5 graus de hipermetropia e 5.5 de astigmatismo, enxergava perfeitamente o espelho. De repente a midwife fala pra ela sentir a cabeça do bebê.
_ Que sensação doida!! Parece que tô tocando numa parte anestesiada, porque sei que é pele, mas não sinto nada – Pensou.
Além disso, quando estava começando a coroar, falaram para a grávida olhar pro espelho como forma de estímulo:
_ Tá vendo ali a cabeça do bebê?! – Perguntou a midwife.
- Aham!! – Disse a grávida sorrindo e mentindo, já que o milagre da super visão tinha ido embora.
E depois de tanto empurra-empurra e segura por 5 segundos, a midwife falou:
- Ok… agora ele não volta mais, tudo que você empurrar não vai mais voltar.
A grávida só ouviu que ele não voltava mais e aí apertou o botão da loucura. Ela pensou:
_ Na próxima contração ele vai sair de qualquer jeito! Não tô nem aí!! Cansei! Chega!!
E foi assim… Veio a contração, e a grávida que só estava gemendo, passou a gritar loucamente fazendo força. Seu grito foi ouvido por toda Vancouver, luzes se acenderam, pessoas surgiram na janela..
Grito gigantesco, longo e força, muita força! A dor que tanto falavam chamada “Círculo de Fogo” foi completamente ignorada ou inexistente pela grávida. Ela só pensou:
_ Puta merda! Agora não posso mais parar senão vai ficar travado no meio do caminho.
E continuou de uma vez só.
Às 5:58, quando ela achava que não ia acabar nunca, a dor sumiu e tascaram um coisa gororobenta e super quente entre os peitos da grávida… opa.. grávida não: MÃE!
E ela só falou:
_ Ai meu Deus, o que eu faço com isso?!?!

Meio sem saber onde estava. Quando grávida no trabalho de parto, ela quase não abria os olhos e de repente, ficou super alerta, querendo ver como era aquela coisinha quente gelatinosa no seu colo.
Olhou pro marido e disse:
_ É de verdade?!?!
E começaram a chorar.

(cara mega esquisita que a mãe saiu!)

Tascaram ele no peito e como se fosse expert, o bebê começou a mamar.
_ Mas não tem nada aqui!!! – Disse a mãe.
E foi quando perguntaram, qual é o nome dele? E os pais responderam oficializando: Nicolas!
Depois de um tempinho, marido cortou o cordão umbilical e avisaram pra mãe que iriam fazer as medidas dele enquanto ela expulsaria a placenta. Mas tudo na mesma sala e no mesmo local. Marido foi acompanhar o filho, que media 50.5cm e pesava 3.175 Kg, enquanto a Mãe expulsava a placenta que foi super tranquilo, não tinha sentido nada.

Logo depois a midwife falou que chamaria a obstetra de plantão para dar os pontos na perereca, e enquanto a perseguida era costurada, ela aprendia como dar de mamar.

Às 8 horas, todas as meninas tinham ido embora (Midwives, doulas e fotógrafa) e os mais novos pais do mundo foram para o quarto junto com seu filhote para começar uma nova vida cheia de amor, descobertas e alegria.
E estão vivendo felizes como sempre.
FIM.

26nov 2013

Relato do Parto – Parte 02

Postado por às em Gravidez

(pra quem não leu, a primeira parte tá aqui)

No hospital, eram 10:10 da noite e uma enfermeira iria ficar acompanhando até as 7:00 da matina. E como brasileiro é que nem formiga, tem em qualquer lugar, ela era uma. Ela tascou 4 doses de insulina no total do parto por causa da diabetes gestacional da grávida que não sentiu nada!
A grávida foi bebendo aos poucos seu Gatorade, ficaram mudando ela de posição para ajudar na dilatação e a meia noite ela estava com 8cm.
_ Sério que ela fez o toque pra saber quantos cm estava?! Não senti nada! – Disse a grávida depois de parida sorrindo.

Ofereceram pra ela o famoso gás do riso para ela relaxar e marido todo serelepe quis provar também todo-todo.

(hahahahahahah)

E a cada mudança de posição, ela reclamava em pensamento e xingava todo mundo: _ Que saco!!! Eu só quero ficar quieta! Porra!! Não tão vendo isso?!?!? Mas que merda!
E se duvidar rolou até um:
_ Leave me alone!!!
Com seu inglês capenga.
(massagem das duas doulas na lombar)

Nessa hora, às 00:45, a grávida pediu arrego. Olhou pro marido e disse:
_ Mô, eu quero peridural. Por favor, tá doendo muito!
A midwife perguntou o que ela estava falando e a grávida disse que queria anestesia. Nesse momento a midwife falou:
_ Vamos fazer o seguinte, vamos mudar você de posição pra o quadro evoluir, além disso, vamos tentar estourar sua bolsa naturalmente, ok?
Tudo em inglês e a grávida entendeu tudo! Seria o milagre da Partolândia?
E começaram a mudar de posição. E tasca no banheiro, tasca no chuveiro e os pensamentos nela continuavam:
_ PORRA!!! QUERO DORMIR!!!!!! ME DEIXEM EM PAZ!!!
Na hora de tentar estourar a bolsa, tascaram ela de cócoras que foi a pior posição do mundo pra ela, e a cada contração a midwife falava pra fazer força. Nada.. Força.. nada!! Até que nesse meio tempo a fotógrafa veio com uma torradinha com manteiga deliciosa e falou:
_ Tenho uma torrada aqui, quer? Abre a boca.
A grávida abriu e momentos de tensão rolaram na cabeça do marido:
_ PUTZ! Ela vai odiar…Tá sofrendo, não vai conseguir nem engolir e vai reclamar.. tá na cara dela.
Momentos de tensão… pausa e….
_ Nossa… eu AMO torrada com manteiga! – Disse a grávida depois de uma mordida e depois de muito tempo. Tudo em câmera lenta.
Continuando a fazer força pra tentar estourar a bolsa, de repente ela sente sair uma gororoba e fala:
_ Estourou!!!!!
Porra nenhuma. Devia ser o tampão mucoso.

Midwife então viu que já tinha passado 1 hora e meia e continuava 9cm de dilatação, então ela disse que iria estourar e que as contrações iriam intensificar.
_ Oi?!  Você tá maluca?! – Pensou a grávida dizendo na verdade somente um “ok”.
Bolsa estourada, lá foi a grávida pra posição preferida: abraçando a cama.
Depois de algumas contrações, a grávida pede arrego de novo. Dessa vez chorando:
_ Mô! PELAMORDEDEUS!! EU PRECISO DE ANESTESIA!!!
Chorando compulsivamente. E lá veio a midwife com cara de curiosa:
_O que foi, querida?
_ eu não aguento mais.. eu quero anestesia… – disse baixinho toda sofrida com cara de gatinho do Shrek.
Nesse mesmo tempo, marido fofoqueiro falou pra fotógrafa:
_ Ela disse antes em casa que se ela pedisse anestesia pra não deixar que ela não queria.
(Reivindicação da grávida: Ela disse que se pedisse anestesia, pro marido falar pra ela ter força que ela conseguiria)
Foi então que a fotógrafa falou pra midwife e surgiu um complô contra a pobre gestante:
_ Olha, você está com 9 cm de dilatação, se eu chamar o anestesista agora, vai demorar quase 1 hora pra ele aplicar e fazer efeito, sendo que você vai estar com 10cm e estará na hora de empurrar que não é ideal você estar com anestesia pra você sentir. Além disso, a dor muda. A dor do expulsivo é diferente e muitas pessoas falam que não dói tanto. Vamos sem anestesia?! Vai ser melhor assim e vamos ajudar você a ter menos dor possível, pode ser?! – convenceu a midwife.

A grávida só queria o gás do riso pra na verdade morder a borracha do tubo no lugar de mandar todo mundo se ferrar e se concentrar na respiração pra disfarçar a dor, porque na verdade ou o gás não fez efeito, ou ela realmente ficou doidona como marido falou depois que ela ficou, por causa do gás, mas nada de aliviar a dor.

Foi então que de repente, no meio da contração, às 4:05, ela sentiu uma vontade de empurrar… e empurrou quietinha, como se tivesse fazendo coisa errada. Na outra contração aconteceu a mesma coisa e foi então que ela resolveu falar:
_ Eu tô com vontade de empurrar, posso?
E a sala de parto virou uma festa!
_ CLARO QUE PODE!! – disse a midwife.
Sorrisos e movimentação no recinto e mais uma contração e força!

Leia aqui a parte 3.

18nov 2013

Relato do Parto – Parte 01

Postado por às em Gravidez

Era uma vez, uma grávida desesperada pro filho não nascer na data prevista, dia 28 de setembro, porque sua doula brasileira iria ter um casamento em Toronto e estaria fora da cidade, mas tudo bem, porque ela tinha certeza que o bebê iria nascer antes. Não foi à toa que ela teve um alarme falso… todos diziam: você vai saber quando chegar a hora.
_ Será mesmo?! Isso é uma regra? – pensava.
Foi então que numa quarta-feira, dia 25 de setembro de 2013, as 10 da noite, essa grávida, que já sentia as falsas contrações desde a semana 20, começou a sentir uma cólica besta acompanhada da falsa contração e pensou:
_ Bem, deve ser isso o início de trabalho de parto, porque senão for, não sei o que é.
E começou a cronometrar a frequência.. Estava de 15 em 15 minutos, mas as vezes ficava de 30 em 30. Resolveu então dormir, porque foi o aconselhado caso começasse depois das 9.

(No momento real, mas posando com a contagem das contrações zeradas)

Acordou com algumas cólicas mais fortes durante a madrugada, mas super tranquila, porque mão eram tão fortes.
_Molezinha! – Falava.
Ligou para midwife pra ficar atenta que a qualquer minuto ela estaria parindo (aham), ligou pra doula também por volta das 9 da manhã que foi até sua casa e tascou a grávida pra caminhar. Juntas, caminharam por 1 hora e depois a doula passou mais exercícios e ensinou o marido a fazer umas massagens mágicas que aceleravam o parto por liberar ocitocina, entre outras coisas. Como nada aconteceu, a doula foi pra sua casa terminar de arrumar as malas, pois ela realmente iria pro outro lado do país :( mas deixou de backup uma doula canadense fofa. Grávida pensou:
_ Lascou, vou ter que parir em inglês.. mas como?!?! Vou esquecer tudo!!
Mais tarde marido disse:
_ Olha a foto!!! Última foto da barriga!!
_ Peraí!!!

_ Pronto!

Dia seguinte, 27 de setembro, ela ligou pra doula canadense as 9:00 dizendo que o negócio tava ficando feio. As dores estavam mais constantes, mas ok, nada demais.
_ Cólica menstrual que eu nunca tive.. agora sei como é.. – Pensou.
Ela falou pra grávida perambular com marido pela rua, coisa que a grávida não fez (rebelde).
Quase 3 da tarde, ela ligou pra doula dizendo que as contrações estavam a cada 5-7 minutos e pediu pra ir pra casa dela dar uma atenção especial :D Nem 30 minutos depois, a doula estava lá, firme e forte, fazendo massagem, tascando ela pra sentar no vaso pra ajudar na dilatação, batendo papo, conhecendo melhor, já que como ela era backup, elas não se conheciam. O Inglês da grávida ainda estava bom.

(Que situação, hein?!)

A doula falou também pra colocar uma bolsa de água quente na lombar, porém a grávida não tinha, qual foi a solução milagrosa? Fazer um saco de meia com arroz e esquentar no microondas. (Olha o saco de arroz na lombar que lindo!! E recebendo também massagem da estudante de doula que era brasileira fofa)

Lá pelas 4 horas, ela ligou pra midwife e passou a bola logo pra doula, pois o inglês mostrou sinais de capenguice. Midwife disse que iria pro hospital primeiro visitar uma parida e depois iria pra casa da grávida ver como andava a situação. Ligaram também pra fotógrafa/doula que chegou lá na casa as 6:30 já arrasando com uma máquina de choquinhos sensacionais chamada TENS que faz massagem na lombar de um jeito que gera orgasmos múltiplos na grávida com dores e ela mesma que controla a intensidade.

Lá pelas 8, midwife e uma estudante de midwife chegaram na casa da grávida e acharam que iriam dar “uma passadinha”, quando viram que ela estava com 5cm de dilatação.
_ UFA! – Pensou a grávida que estava com medo de ter passado esse tempo todo e não ter dilatado nada.

Às 9:30, reza a lenda que mudaram os tipos de mini gemidos da grávida, por isso a midwife falou pra irem pro hospital.

Peraí! Mais uma contraçãozinha!

Antes disso, marido precisava terminar a mala da maternidade (claro que não estava pronta.) e pra surpresa de todos, a grávida quis ficar gata e trocar sua roupa. É cada uma…

Foram de carona com a estudante de doula pro hospital que fica a 5 minutos da casa deles e no caminho 2 contrações e a cada buraco, uma reza (Neste momento, se descobriu que em Vancouver tem buracos na rua).
Bebendo Gatorade pra ficar sempre hidratada, eles chegaram as 10:10 no hospital vazio. Que beleza… Marido não se conteve e sairam lagriminhas quando entrou no quarto, pois sabia que de lá ele sairia pai.

Leia aqui a parte 2.

10nov 2013

1 Ano de Canadá!!!!

Postado por às em Canadá

Hoje faz 1 ano que moro em Vancouver (!!). 1 ano que decidimos arriscar e mudar nossa vida pra sempre. Assim que chegamos, viemos na dúvida se ficaríamos ou não.. Se iríamos gostar ou não. É sempre muito perfeito quando se viaja pros lugares de férias e se diz: Nossa!! Quero morar aqui!! Mas a verdade é que a realidade é outra.
Eu larguei tudo pra viver o sonho do marido de trabalhar numa das melhores empresas do mundo pra carreira dele. Na minha carreira foi dada uma pausa, bem na hora que estava saindo em revistas, sites, etc. Meus planos eram desenvolver mais o olhar estudando coisas aleatórias, nada a ver com fotografia, pois nem sempre nesses cursos se acha o que está buscando. Além disso, começaria a trabalhar logo por aqui e começaria uma carreira internacional. Bexxxta!! Muito chique, né?? Eu caminhei muito bem pra isso, mas fiquei grávida e resolvi dar o ano de 2013 pra maternidade.
Além da carreira, minha família e amigos iriam me ver somente pelo skype, que é a salvação do planeta pra quem mora longe. Faz 1 ano que não abraço e não sinto o cheiro deles.
Mas posso dizer que esse ano foi o ano mais importante da minha vida. Além do fato deu ter me tornado mãe, eu mudei muito minha forma de pensar e de dar valor as coisas. Não gosto muito de ficar falando o quanto estou apaixonada pelo Canadá, o quanto eu descobri que eu estava relativamente acostumada com a violencia e a falta de respeito e o quanto isso tudo é importante pra mim agora a ponto de não querer mais voltar a morar no Brasil e correr atrás da residência. A cada entrada no G1 e cada post de amigos no Facebook eu tenho a certeza de que tomei a decisão certa, o que fico chateada é que não posso trazer todo mundo que amo pra cá. Várias pessoas falam pra mim que não aguentariam o frio, ou ficar longe da família, sim, essa parte não tem jeito, mas sinceramente?! Estamos falando e vendo mais as pessoas pelo skype hoje em dia do que quando morávamos aí. Claro que não todo mundo, mas um bom pedaço.
E a adaptação? Como está sendo? Bem… Vamos lá:

Comida: essa história de sentir falta de arroz e feijão aqui não existe. Aliás, de comida, estamos muito bem servidos, como vocês sempre vêem no Papo de Gordo. O que pode sentir falta é da comida da sogra, mousse da tia, maionese do cumpadi, essas coisas, porque o resto tudo tem aqui.. Menos o suco de caju que eu AMOOOOO!! PQP!!! Foi a única coisa que não achei aqui.

Frio: Esse é o quesito que TODO mundo me pergunta. Primeiro: Vancouver é a cidade com a temperatura mais amena do Canadá. Pra vocês terem noção, aqui tem uma neve mega mixuruca 2 dias no ano e só! De qualquer forma, os lugares são bem quentinhos, ônibus quentinho, tudo! O problema maior é quando venta e você está na rua. Bate aquela brisa desnecessária que dá vontade de socar São Pedro.

Segurança: nem deveria comentar isso, né?! Mas sinceramente? É difícil se adaptar.. Quando você vai ver, está lá segurando a bolsa, não deixando o casaco na entrada do restaurante com medo de roubarem, o guarda-chuva também… Desconfia do vizinho que oferece ajuda, não leva o Ipad pros lugares sem configurar o bloqueio primeiro, essas coisas.. Difícil de acostumar.. ;)

Respeito: desculpem, mas se tem uma coisa que brasileiro não tem é respeito.. não generalizando, claro, mas pelo menos uma atitude o brasileiro toma com egoísmo e isso eu não vejo aqui. Tudo é pensado no próximo, num conjunto e por isso tudo aqui funciona. Nas ruas tem lugares pra doar roupas, nas escolas, os pais participam dos eventos colaborando de alguma forma, se você faz cara de dúvida na rua, sempre vem alguém perguntando se você quer ajuda, etc. você liga a seta do carro, as pessoas reduzem pra você entrar e por aí vai. Isso me adaptei fácil! Paraíso!

Amizades Novas: Posso falar que são intensas. Fiz vários amigos aqui que vou levar pra minha vida inteira e que já amo! Mas como assim já ama?! Amizade se constrói em anos e não meses!! Pois é.. mas quando se mora fora é diferente. Talvez pelas mesmas experiências e carências, ficamos mais próximos, nos apegamos.

Inglês: Ixi… que inglês?! No ínicio entrei em crise. Sai do Brasil crente que tava abafando no meu inglês e vi aqui que não sabia nada. Morria de vergonha de falar e não tinha paciência de repetir quando alguém não entendia. Mas aos poucos fui me soltando e quando descobri um curso de inglês que dava pra eu fazer ($$) fiquei me achando de novo e voltei a ser tagarela e sem crise.. pena que só pude fazer 2 meses porque o Nick nasceu. Ai se eu tivesse achado esse curso antes…. De qualquer forma, não sinto tanta necessidade assim, pois meus amigos são todos brasileiros e as conversas que tenho com canadenses meu inglês segura as pontas. E claro, vou aprendendo no dia-a-dia. Mas confesso que não vejo a hora de poder levar o Nick na biblioteca e fazer amizades com outras mães e treinar my poor english. AH! E o canadense é um fofo, eles tem super paciência.. eu que não.

Enfim, acho que o Brasil tem jeito sim, se cada brasileiro passar no mínimo 6 meses no Canadá. Mas falando sério?! Há 1 ano não sei o que é sentir medo de andar na rua, não sei o que é me vestir do jeito que quero sem ser olhada de cima a baixo, não sei o que é olhar pros lados pra atravessar a rua (ainda vou me lascar nessa), etc. Recomendo do fundo do meu coração essas sensações a todas as pessoas, principalmente as que amo, mas infelizmente a vida não é assim… uma Brastemp. (♫ Tum dum tss! ♫ )

04nov 2013

Halloween em Vancouver

Postado por às em Canadá

Sabe filme? Pois é… vivi dentro de um deles no dia 31. De tão bocó que sou, meus olhos se encheram de lágrimas.
O pessoal se prepara muito aqui. Lojas com temas de Halloween e fogos de artifício (única época do ano liberada pelo governo) abrem por 1 mês só pra isso.
Aqui, as crianças sabem que se a casa não estiver enfeitada é porque a pessoa que mora não quer/pode participar da brincadeira e não terá docinho. E você pensa que são só as crianças que se fantasiam?! Que nada! Vai todo mundo fantasiado pro trabalho, pubs, etc. Os pais com filhos, lógico que vão fantasiados também.
Perambulamos pelas ruas daqui lá pelas 6 horas que é quando começam os fofoletos a tocarem nas casas e falarem lindamente: Trick or Treat? E a porta se abre com bruxas, vampiros, piratas cheios de doces nas mãos deixando a cestinha de doces das criancinhas mais recheadas.
O que me deu dó (mas me divertiu horrores, ÓBVIO! Porque sou má!), foi quando os pais quiseram entrar numa casa e a filha começou a chorar com medo dos enfeites. Nível Modern Family. <3

E esse ano alguém foi de monstro:

29out 2013

Nicolas Agora é Benjamin

Postado por às em Família

Aqui no Canadá, você tem 1 mês pra fazer o registro do bebê. Como só definimos o nome Nicolas na hora do nascimento, ao olhar a carinha dele constatamos que ele se chamaria Nicolas. Porém, 1 mês se passou, chegamos a registrá-lo como Nicolas, mas olhando pra carinha dele agora não tem mais nada a ver e decidimos trocar o nome pra Benjamin, não chegamos a pagar multa.
Mas por que Benjamin se Nicolas é tão lindo?!?!
Porque você olha pra cara dele agora e lembra do Benjamin Button. Ele é quase um vovô no meu colo, com sua careca somente em cima e cabelos do lado, pois caiu tudo essa semana.

E ontem ele fez 1 mês!!! Nada como um pretexto pra fazer bolo pela primeira vez por aqui :P

PS: Antes que falem.. óbvio que não trocamos o nome dele, mas que ele tá careca somente em cima, isso tá! Ridículo! ;)

22out 2013

Ele Sabe o Que é Bom

Postado por às em Família

Eu jurava que iria conseguir manter minhas postagens em dia, tagarelando como sempre, mas o ser que eu criei dentro da pança resolveu ser uma criaturinha insegura que só pede colo.. quando ele começou a fazer isso, foi de madrugada… ok. Eu consigo inverter a noite pelo dia fácil!! E foi o que fiz.. ele ficava no colo de madrugada, muitas vezes nas peitolas e se eu colocasse ele no bassinet, ele chorava e lá voltava ele pra minha pança quentinha, no estilo skin-to-skin e durante o dia ele ficava na boa dormindo no bassinet e eu dormindo também.
Até que 2 dias depois, ele também não quis mais ficar sozinho durante o dia e lá fiquei 48 horas acordada.. chegou as 5 da matina, eu só conseguia olhar pra ele dentro do bassinet chorando e eu chorando também olhando ele se esperneando, fiquei apática, até que marido acordou e ficou com ele no colo, enquanto eu tentava dormir.
Logo depois, ele pediu a teta e foi então que eu dormi com ele no colo… chapamos! Os dois… lindamente… por quase 2 horas. 2 horas que valeram pelos 2 dias sem dormir.. paraíso! Foi aí então que me toquei… ele queria ficar comigo.. o tempo todo! Chorei.. abri o berreiro.. não queria essa dependência pra mim. Conversei então com uma amigona/irmã minha e ela me falou sobre cama compartilhada.. que também não foi isso que ela queria pra filha, mas não teve opção e hoje a pequena tem 4 anos, é um ser seguro, simpático, cheio de amor pra dar, pois não passou pela “obrigação” de ficar sozinha no berço se esperneando, quando ela só queria colo pra se sentir segura, afinal, ficou 9 meses dentro da barriga gostosinha.
Logo depois, também liguei chorando pra Lu que também passou por isso com o Nick e a Lilly e vi que isso é mais normal do que parece.
Me conformei.. pesquisei e resolvemos comprar uma grade pra nossa cama.. pense numa mãe que dorme super bem agora :D
Porém… como ele quer colo durante o dia e nem sempre eu quero ficar de sling, eu odeio digitar com uma mão só, ou seja, meu relato do parto tá bem no início (mas tô escrevendo, ok?!?) e por isso rolou um meio abandono daqui.. mas tô me adaptando, criando uma rotina e daqui a pouco volto com tudo!!

07out 2013

Ele chegou!! 100% Orgânico!

Postado por às em Família

Nicolas chegou dia 28 de setembro (data com o mesmo nome da rua que eu e marido nos conhecemos <3 e exatamente na data prevista de nascimento: pontualidade canadense) com 3.175 kg, 50.5 kg às 5:58 da matina e com simplesmente 52 horas de trabalho de parto (se fode aí). Nick é 100% orgânico, sem agrotóxico e um fofoleto!

Sintam o drama (relato do parto em breve):

Precisa ter coragem pra ter parto normal? NÃO! Deixe acontecer!!! Melhor coisa! Já tô aqui toda saltitante, serelepe e feliz e já vou dando spoiller: não foram 52 horas de dor e sofrimento, ok? Só de trabalho de parto.
Enfim, já tô falando demais.

E essa fotchenho é ele com 6 dias de pura fofura:

23set 2013

Storybrooke – Steveston

Postado por às em Canadá, Series

Começamos a ver o seriado Once Upon a Time ˜forçado” através da indicação da Aline. Tentamos uma vez (vimos 2 episódios) e não prendeu… ela insistiu e disse que era gravado aqui em Vancouver.. então tá vamos tentar de novo. O lance é que pra um seriado novo, eu e marido temos que dar chance até o 4o. episódio pra realmente falar que não gostou, ou seja, insistimos e AMAMOS! (Valeu Aline!!) Vimos a primeira temporada super rápido! E assim que acabou, pesquisamos sobre as locações e descobrimos que Storybrooke é um bairro mega fofoleto e turístico dentro da cidade de Richmond (do lado de Vancouver). Ou seja, fomos lá passear e além de conhecer o lugar, ficamos turistando e viajando pelo mundo do seriado.

Biblioteca: Aqui é o clássico de Storybrooke :D Só não tem o relógio que é feito depois na pós-produção. E a plaquinha também :D

Storybrooke Coffee: Também é uma cafeteria, mas lá dentro… nada a ver!! Não é aconchegante. São mesinhas de plástico, tipo de boteco.

Pet Shelter: Onde o príncipe trabalha :D Aliás, eles nem tiraram o adesivo do lugar <3

Consultório do Archie: Eles só mudam o que tá escrito de Steveston pra Storybrooke.

Post-Office: Os Correios de Storybrooke são na verdade o museu de Steveston.

Padaria: Também só mudam o nome para Storybrooke Country Bread.

Loja do Mr Gold: Essa marido fez questão de sair porque ele achou engraçado chegar lá e estar a venda.. coitado do Mr Gold… ahhahahahaha (também não tiraram os adesivos das janelas)

Aqui uma geral da cidade, ops, bairro.

Algumas lojas aproveitam o momento da série :D

E aqui é onde ficava o castelo do Henry:

Como Steveston é um bairro perto do mar e só de pescadores, o forte de lá é o Fish and Chips.. o que eu comi? Peixinho e batata frita!! :D Esse era o lugar mais recomendado de lá.

É isso.. vale muito a pena conhecer o bairro, mas se você mora em BC e não assiste esse seriado, faz favor! E depois vá lá que é muito mágico visitar um lugar onde está tudo ali! Nada cenográfico! <3
BTW, eu queria muito fazer comparação com as fotos do seriado, mas confesso que fiquei com preguiça porque não achei um monte de coisa, daí não ia ficar padrão e desisti (TOC), mas dá pra ter uma idéia.. Quem conhece vai saber cada pedacinho e quem não conhece, tem que ver a série!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...